quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Sobre os boys que partem, ou melhor, o pé da bunda...

By Maína Lins

Quantos boys já partiram da sua vida por conta própria, antes ou durante o relacionamento? Não conta se não fica pior.

Mesmo você sendo linda, inteligente, bem sucedida, divertida, simpática, carinhosa e especial ele se foi. Aliás, tenho certeza que ele disse que você é tudo isso na hora que resolveu partir, e completou: "você vai encontrar alguém que mereça e dê valor em você" ou " não é você, sou eu", ou "não estou em um momento bom para relacionamento sério". Na semana seguinte ele estará namorando seríssimo com outra, pode apostar. Como diz uma amiga: "são os homens sendo homens".

Por alguns dias você sofrerá, pensando em tudo que viveu com o boy, procurando cada detalhe que remeta a culpa a você de mais uma tentativa de relacionamento frustrado. Talvez a culpa seja daquela celulite, ou do seu cabelo ou de alguma coisa que você tenha falado e posto tudo a perder.

Não gata, você foi você. Você agiu como você agiria, o cretino não a aceitou por inteiro e a culpa não é sua. Observe aquela sua amiga maluquinha que namora a dez anos, ele a ama como é e você também.

Isso pode parecer difícil de entender e o entendimento também não diminui em nada a dor de um coração partido. O sentimento de perda, por alguns dias, será maior e atrapalhará tudo que qualquer pessoa disser.

Mas durante 29 anos de existência, mesmo não entendendo nada sobre homens, aprendi algumas coisas sobre mim e sobre as mulheres que conheci. Sim, eu também sofri e as vi sofrer quando cada um deles se foi mas a culpa nunca foi minha, nem delas. E não ligo a mínima para o que dizem dos erros que possivelmente possamos ter cometido. Não acredito em erros quando agimos de acordo com o que sentimos. Até porque gostamos deles com toda a "cretinisse" e mesmo assim tentamos. Por isso não me arrependo das mensagens, das lagrimas nem dos pedidos de reconsideração da situação. Apenas respeito a posição do outro em não aceitar, de não querer.

Aprendi que a culpa é sempre deles. A culpa é de quem escolheu não estar com você, de quem não ousou arriscar a felicidade do seu lado, de quem não viu além da sua estria, joanete, barriguinha saliente e o que mais você considerar um defeito, a culpa é de quem perdeu a chance de compartilhar momentos de alegria e brigas memoráveis, a culpa é de quem perdeu a oportunidade de comprar chocolates para você na TPM, a culpa é de quem não considerou sua história de vida, suas vitórias e derrotas para viver ao seu lado, a culpa é de quem não confiou o coração a quem realmente se importava.

A culpa é do boy que perdeu a chance de tomar mais um porre com você, a culpa é do boy que não vai te levar para dançar no sábado a noite, a culpa é do boy que perderá o seu sorriso e aquele olhar convidativo que diz tudo, a culpa é do boy que não mais sentirá seu cheiro e que nunca mais será o motivo de sua ida a Loungerie, a culpa é de boy que assistirá o jogo sem você no colo tentando entender que raios é o tal do impedimento, a culpa é do boy que perderá seus momentos mais íntimos de cara lavada, que não verá você dançando com aquele short surrado em frente a TV.

Me dei conta disso depois que comecei a prestar atenção nos boys que realmente se importam comigo, até mesmo meu amigo gay. Eles gostam de mim, do jeito que sou e sempre haverá um chocolate na minha mesa quando perceberem que não estou bem, que mais um boy partiu e simplesmente não entenderão o motivo, nem eu. A estes chamo de amigos.

Então lembre-se, se você foi você, a culpa não é sua.

PS: excluo aqui fatores psicológicos que comprometam a integridade física e emocional da pessoa e do outro envolvido. Nesses casos, melhor procurar ajuda profissional.


Um comentário: