terça-feira, 6 de outubro de 2015

Sobre machismo e inteligência emocional...

By Maína Lins


Já disse por aqui que durante esses 29 anos de minha existência, percebi que não há regras para relacionamentos exitosos. Ao mesmo tempo, também, ainda, não obtive êxito.


E aí os motivos, segundos terceiros, são os mais diversos. Porque não escuto o conselho de alguém, porque não li o livro o tal, porque não aprendo nunca ou porque sou uma bobona mesmo. Enfim, poderia listar mil motivos aqui, mas este post não é sobre os motivos da solteirice da autora.


Após observação de milhares de opiniões sobre os motivos que levam moças a "ficarem para titia", cheguei a conclusão que eles são socialmente construídos na perspectiva machista patriarcalista, que delimita funções específicas para o relacionamento, mesmo que esses julgamentos sejam emitidos por mulheres. Pra quem não entendeu nada do que eu disse, vou explicar.


Algumas amigas, mães, tias, avós dirão que você perdeu o boy porque beijou no primeiro encontro, ou fez sexo no primeiro encontro. Não importa o nível de conservadorismo do contexto social, beijo ou sexo. Haverá sempre um julgamento carregado de visão de que a mulher é a caça e o homem o caçador. 


Ao mesmo tempo, insisto que minha observação aponta para ausência de regras. Virgindade ou sexo no primeiro encontro não estão diretamente ligados a felicidade ou fracasso de um relacionamento. Não é porque você se guardou a vida toda para o casamento que será plenamente feliz. E não estou julgando aqui o mérito da virgindade. Se você acredita que deve casar virgem, continue assim. Mas também a ocorrência de atos libidinosos no primeiro encontro não excluem a possibilidade de relacionamento estável e feliz.


E então, porque alguns casos dão certo e outros não. Bom, aí você terá que fazer uma análise sócio-histórica da educação das pessoas envolvidas, perspectivas e valores construídos. 


Tá, as vezes simplesmente não há tempo para análises e tantos questionamentos. Você gostou da pessoa e pronto, como saber se vai dar certo?


Não tem como saber. Mas dependendo da sua inteligência emocional, as coisas podem ficar mais simples. 


É preciso estar preparada emocionalmente para as incertezas, para arriscar sem muitas perspectivas. Também é preciso estar segura de suas convicções, valores e crenças. Se você entende que sexo no primeiro encontro não é pra você, é porque sabe que pode não dar conta emocionalmente ou socialmente das consequências da sua escolha. Sim, o rapaz pode não querer te ver nunca mais na vida ou ele pode descobrir que você é grande amor da vida dele. Da mesma forma, essa situação poderá se repetir, mesmo que você segure o desejo durante meses ou até o casamento. Há também a possibilidade de você mesma descobrir que o boy não serve para você, antes ou durante esse processo.

Então, seja inteligente emocionalmente para dar conta de toda essa diversidade de pensamentos e possibilidades com segurança.

E não se preocupe, uma hora alguém vai "bater com a sua vibe", seja ela qual for.

Um comentário:

  1. Fiquei com muita vontade de falar/ escrever rsss Bora lá! Partiu!! Inteligência emocional!! Todas temos que ter, com certeza. Um ponto além de todos que concordei acima é a questão do saber levar. Todos nós sabemos que quem "manda" é a mulher rss. Mulherada, querem conquistar alguém?! Temos que lembrar que nós conduzimos o ato da conquista, o famoso "morde e assopra". Você atua (sim, na vida temos vários papéis sociais e conseguimos ser um só de várias maneiras) de maneira tímida para o cara sentir-se o próprio caçador, depois vem o plano B que é "brincar de esconde esconde" você provoca e deixa a desejar, eles lhe verão como um troféu a ser conquistado (estão achando muito machismo? calma colegas!! faz parte da atuação, o melhor está por vir). Então você finalmente dá o que ele quer, o endeusa no momento e depois despista, não atende o cel ou fala com ele como se nada tivesse acontecido, mas se ele tocar no assunto, lance olhos de felina, mordisque o canto do lábio inferior, olhe pro infinito e diga suspirando que foi bom, mas logo se recomponha e mude de assunto. O cara vai ficar doidinho, uma das coisas que eles adoram achar que estão fazendo é desvendar nossos mistérios... acham... nós comandamos!!! Então vem o plano C que é fazer ele sentir dependência, sentir sua falta, ele perceber que precisa da sua companhia. Então Bingo!! Mantendo nossos pé nos chão podemos avaliar todo o cenário e no final das contas dar a cartada final (se aceita ou não se relacionar com o boy) Se valer a pena, se apaixone e viva loucamente até a fila andar, ou não!! hehe Esse "sacrifício" todo, porque príncipe pró ativo não existe mais,. Mais? ..... beijos....

    ResponderExcluir